O grafite na Vila Autódromo mostra que os moradores enxergam o confisco da sua comunidade como uma transmissão de terra pública para atores privados: “Quando não tiver mais áreas públicas para eles venderem, vão vender as favelas. Quem vai reclamar? ”

O problemático legado das Olimpíadas no Rio de Janeiro

As Olimpíadas no Rio de Janeiro são usadas como um pretexto para impor uma controvertida política de desenvolvimento urbano.  Por Margit Ystanes «A Vila Autódromo vai ficar!» Em fevereiro deste ano, a prefeitura do Rio de Janeiro demoliu a casa da Associação de Moradores da Vila Autódromo. Restavam, então, entre 30 a 40 famílias no bairro,…

A Tocha Olímpica da Pobreza, à esquerda na foto, chegou à Vila Autódromo. Ela foi feita em Vancouver em 2010 e desde então tem sido entregue às cidades-anfitriãs posteriores. Ela direciona a atenção para como os Jogos Olímpios pioram a situação de moradores pobres. Despejos forçados por causa de especulação imobiliária são um exemplo disto.

Megaeventos e pobreza urbana: projetos de legado no Rio de Janeiro

CROP Poverty Brief, n. 31, abril 2016 [1] (press here for original in English) Principais pontos: Megaeventos esportivos são considerados veículos para o desenvolvimento urbano e econômico, fornecendo impulso para a economia local ao mesmo tempo em que criam legados em forma de infraestrutura e outros melhoramentos. No Rio de Janeiro, os projetos de legado que tinham…